"Q QUE CRISTO NOS ENSINA ?"

29/05/2011 11:57

 

ORDENANÇA DE CRISTO

 
Creio que este estudo é um principio básico para as nossos caminhos,  podendo fazer com que tomemos decisões que são essênciais  durante a trajetória  e o destino final de nossas  vidas.



Tema: QUE IMPEDE QUE EU SEJA BATIZADO?                                                                     
 Texto-Chave: Atos 8:26-40

 
TEMOS AQUI A HISTÓRIA DA CONVERSÃO E CONSOLIDAÇÃO DE UM FILHO DA OBEDIÊNCIA – Esse etíope representa a vida daqueles que estão sedentos de Deus, mas precisam de alguém que lhe exponha o Caminho. Ele era religioso (havia ido a Jerusalém adorar - não estava longe da fé), tinha grande status em seu país (alto funcionário da rainha), eunuco (castrado, certamente tinha seus problemas de alma) e estava lendo a Palavra de Deus, sem entendê-la. Filipe entra na vida deste homem como um modelo de servo que cada um de nós deve buscar ser. Um semeador da paz! A sensibilidade, a coragem, a determinação e o amor desse diácono foram o canal de Deus para transformar a vida daquele etíope para sempre.
1.    Filipe estava sensível ao mover de Deus – O anjo do Senhor o mandara para aquele lugar e ali, ao ver a carruagem do etíope passar, o Espírito o impulsionou a estabelecer contato. Filipe foi sensível e obediente em tudo. Deixou a festa em Samaria (onde estava antes, desfrutando de um avivamento) para salvar esse filho da paz – REFLEXÃO: Será que estamos atentos ao mover de Deus para colher os frutos maduros que cruzam nosso caminho, ou precisamos ser empurrados pelo nosso líder ou por uma campanha da igreja? Somos obedientes ao receber um comando de evangelizar ou ficamos protelando nossa tarefa? – Leia Jr 1:7-8.
2.    Filipe venceu medos e preconceitos – Salvar pessoas era uma prioridade desse servo de Deus, custasse o que custasse. Ele não se intimidou em ver uma carruagem real. Também não se submeteu a preconceitos ao perceber que estava diante de um etíope (de outra raça e nação) e eunuco (havia sido castrado). Para um semeador da paz, todos precisam do Evangelho e todos são dignos do Evangelho – REFLEXÃO: Pregamos sem preconceito a todo tipo de pessoa ou escolhemos aqueles que parecem mais adequadas à nossa forma de ser? Será que estamos buscando os “doentes” ou queremos achar pessoas “quase crentes” para evangelizar? Somos intimidados por pessoas que têm mais que nós (riquezas, cultura, idade, etc...) ou pregamos o evangelho a qualquer um que nos dê oportunidade? – Leia Gl 3:28; Rm 1:16.
3.    Filipe se dispôs a “correr atrás” da salvação daquele homem – O que lemos é que esse servo de Deus tomou a iniciativa e literalmente correu atrás daquela carruagem. Ele se esforçou para estabelecer contato com o etíope - REFLEXÃO: Temos tomado a iniciativa de nos aproximar dos que estão perdidos para ministrar a eles ou ficamos passivos, esperando acontecer? Que nível de esforço estamos disposto a fazer pela salvação e consolidação de outras pessoas? – Leia Jr 1:17; Rm 15:20.
4.    Filipe ministrou a Palavra com exatidão e profundidade – Ele começou pelo principal (anunciando Jesus) e terminou onde deveria terminar (ministrando ao eunuco o sentido e a necessidade do batismo). Foi não apenas o evangelizador daquele etíope, mas também seu consolidador, levando-o até ao batismo. REFLEXÃO: Estamos expondo o evangelho completo ou diminuímos a verdade de Deus para não “chocar” as pessoas? Temos investido na consolidação daqueles que ganhamos até vê-los batizados ou os abandonamos no meio do caminho, diante da primeira dificuldade? Quantos dos que ganhamos foram batizados e estão firmes? – Leia At 20:27; Mt 28:19-20.

UM HOMEM QUE FOI LEVADO À CONVICÇÃO DE BATIZAR-SE – Na última ministração, vimos a importância de Filipe na conversão e consolidação de um eunuco etíope, alto funcionário do governo de seu país. Aquele trabalho o levou a um forte desejo de batizar-se, o que foi feito de acordo com a palavra de Deus. Depois de ser evangelizado e consolidado por Filipe, o etíope faz uma pergunta: “Eis aqui água. Que impede que eu seja batizado?” – É sobre isso que vamos estudar hoje...
1.    HÁ UM BATISMO LÍCITO DIANTE DE DEUS (ASSIM COMO  HÁ ILÍCITOS)- vs. 36-39 – Filipe responde que o batismo daquele eunuco seria “lícito” se ele cresse “de todo coração”... Lícito quer dizer legal, de acordo com a lei (no caso aqui, a Lei de Deus). A primeira coisa que precisamos entender é que Deus tem uma maneira e nem sempre ela é a mesma da religião.
a.      O batismo legítimo é aquele que resulta de um coração que crê –Portanto, o batismo de crianças é ilícito, é uma falsificação (parecido na forma, mas diferente no conteúdo), porque um bebê não tem a capacidade de crer ou descrer. Não há nenhum batismo de criança relatado na Bíblia!
b.      O batismo legítimo é aquele em que a pessoa é imersa em água –Perceba que tanto Filipe quanto o Eunuco entraram na água. Isso nos faz entender que o batismo por aspersão (apenas derramando água sobre a cabeça, sem mergulhar a pessoa) não é bíblico. No grego, batismo significa mergulho, simbolizando a morte para a velha vida de pecado e a ressurreição para uma nova vida em Cristo.
c.      É necessário crer para ser batizado – A fé é a única chave que nos dá acesso ao reino de Deus. Não é através da razão que nos convertemos, mas do coração. É preciso ter uma fé viva e exclusiva em Jesus! Sem isso, convicção do que não se vê, é impossível agradar a Deus.
d.      É preciso crer de todo o coração - A fé que legitima a vida cristã não é um mero assentimento mental, mas uma entrega absoluta. Não basta crer, mas é preciso crer de todo o coração, sem reservas, integralmente.
·    Crer de todo o coração é renunciar a toda forma de idolatria –Não podemos dividir o nosso coração, ter dois senhores, ter uma fonte de provisão e governo além de Cristo.
·    Crer de todo o coração é não reservar nenhuma área de nossas vidas fora do senhorio de Cristo – Significa não departamentalizar a fé, não confinar Jesus apenas num espaço religioso de nossas vidas. Ele quer salvar e santificar tudo, quer estabelecer seus princípios em todas as áreas da nossa existência. Isso quer dizer que enquanto não abandonamos os pecados e vícios, não nos é lícito batizar, pois uma parte de nosso coração ainda está ocupada pela desobediência.
·    Crer de todo o coração é mergulhar num relacionamento apaixonado com Jesus - Coração fala de sentimento, de paixão. Só é legítimo selar uma aliança pelo batismo quando estamos apaixonados por Cristo e queremos manter esta paixão para sempre.
2.    O FILHO DA OBEDIÊNCIA  SEGUIU JUBILOSO SEU CAMINHO – vs. 39 -A experiência de ter conhecido Jesus e estabelecido uma aliança com Ele através do batismo liberou um sentido de alegria e realização na vida do eunuco. Ele seguiu o seu caminho, mas agora não era mais o mesmo e nem estava sozinho.
3.    FILIPE SEGUIU NA MISSÃO DE ENCONTRAR NOVOS FILHOS DA OBEDIÊNCIA  – vs. 40 - Aquele homem não estava satisfeito. Ele não estava fazendo uma "campanha de evangelismo". Sua vida consistia em anunciar o Evangelho! Assim ele seguiu também, certamente jubiloso.
 
 

Pr. Danilo Figueira - Transcrição - Elio Loiola


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!