" APRENDENDO A VIVER A VIDA CRISTÃ NA PRÁTICA DIÁRIA, ATRAVÉS DOS SÁBIOS CONSELHOS DOS PROVÉRBIOS BÍBLICOS. " - TERÇA FEIRA

20/11/2018 11:37
Provérbios 20:16
 
 
Aquele que fica por fiador do estranho tira a sua roupa e penhora-a por um estranho.
 
 
Correr riscos não é prova de coragem ou sabedoria; geralmente é evidência de pressa e tolice. Riscos desnecessários tentam a Deus e Ele julgará tais ousadias. Este provérbio ensina que os homens devem julgar aqueles que assumem riscos tolos. Isto porque eles mostram a falha de caráter de quem se arrisca tolamente e garantias devem ser exigidas em qualquer transação com eles.
 
Várias vezes Salomão avisou a respeito de garantias e fianças (Pv 6:1-5; 11:15; 17:18; 22:26-27; 27:13). Veja os comentários de Provérbios 6:1. Na realidade o nosso provérbio de hoje forma par com Provérbios 27:13. A maior parte da sabedoria tem a ver com o evitar o risco que poderia lhe custar caro financeiramente ou de alguma outra forma. Homens sábios buscam preservar o seu capital, e não arriscarem tolamente o mesmo à perda por otimismo ingênuo ou ignorante. Homens prudentes evitam o perigo e o risco; homens simples avançam tolamente e são punidos (Pv 22:3; 27:12).
 
Ser um fiador é garantir o cumprimento de outros, como no caso de uma fiança num empréstimo. Fazer isso para um estranho, devido à pressa ou o orgulho, pode lhe criar sérios problemas financeiros. Se o estranho não cumpre suas obrigações, os credores poderão executar o contrato em cima do fiador - o tolo que assinou a fiança na operação. Dar garantias a terceiros era uma tentação muito grande para os filhos dos reis. Mas, se a pessoa se expôs a tal risco, como é que você pode confiar que o terceiro vai cumprir a obrigação dele para com você?
 
Salomão deu ao seu filho uma regra a respeito de sociedade em negócios. Não entre em transações com aqueles que assumem risco, a não ser que você consiga garantias reais deles. Como vestuários valiam muito nos tempos bíblicos, ele sugeriu que tomasse as vestimentas dos tomadores de risco como uma garantia de obrigação, um depósito em garantia ou até mesmo em moeda (Gn 38:13-18; Êx 22:26-27; Dt 24:10-13). Ao receber depósitos em garantia, um homem sábio pode, com tranquilidade, entrar em uma operação com os homens tolos.
 
A segunda sentença do provérbio tem uma elipse, palavras intencionalmente omitidas para encurtar a sentença e aumentar a sua ênfase. Cauções ou depósitos em garantia deveriam também ser exigidos dos homens quando transacionam com mulheres estranhas. Pelo estilo de vida imoral ou amoral de um frequentador de prostitutas é uma indicação de que você não deve entrar em negócios ou transações financeiras com ele. Para se proteger você, novamente, necessitará de um depósito em garantia.
 
É maravilhoso você encontrar homens piedosos, com quem você pode entrar em sociedade ou transações e não se preocupar com nada. Mas homens que não são financeira ou moralmente disciplinados não são bons parceiros. Devem ser evitados. Um homem sábio não arriscará a sua própria vida financeira ao confiar numa pessoa que assume risco com capital ou com mulheres.
 
Leitor, é melhor estar seguro do que arrependido. Resista a todos os apelos dos outros, e do orgulho e da ganância intensa que há dentro de você para assumir riscos. E evite comprometer-se com frequentadores de prostitutas.