" APRENDENDO A VIVER A VIDA CRISTÃ NA PRÁTICA DIÁRIA, ATRAVÉS DOS SÁBIOS CONSELHOS DOS PROVÉRBIOS BÍBLICOS. " - SEGUNDA FEIRA

28/01/2019 11:45
Provérbios 28:20
 
 
O homem fiel abundará em bênçãos, mas o que se apressa a enriquecer não ficará sem castigo.
 
 
 
Você gostaria de ficar rico rapidamente? Arrependa-se! Este é um desejo pecaminoso e arruinará a sua vida. Isto deforma o seu juízo, cria muitas tentações para a sua alma, e fará com que tanto as leis naturais como as sobrenaturais ajam contra as suas finanças. Ao invés disso, trabalhe bastante em um emprego nobre e útil e espere a abundância das bênçãos naturais e sobrenaturais sobre você (Pv 28:19,21-22).
 
Há um contexto para este provérbio. O homem fiel mencionado em nosso versículo do dia é um homem financeiramente fiel, um que rejeita pessoas vãs e que trabalha diligentemente na lavoura (Pv 28:19,21-22). Deus promete a prosperidade a homens que não se distraem pelas desilusões de rápido sucesso financeiro. Mas ele adverte os homens ávidos, que se agarram às idéias de enriquecimento rápido, a respeito do juízo vindouro.
 
A fidelidade aqui é um esforço constante, perseverante e firme numa profissão ou num negócio. Ela se contrasta com as ações impulsivas e imprudentes de um homem impaciente a respeito de dinheiro e ávido por sucesso. Salomão sabia que os homens seriam tentados a desprezar empregos monótonos e/ou correr atrás de negócios e investimentos fraudulentos, por isso ele o avisou (Pv 12:11; 13:23; 14:23; 28:19).
 
A pressa distorce o juízo: ela reduz suas perspectivas e encurta os seus prazos, arruinando o sucesso maior de um plano a longo prazo (Pv 6:6-8; 12:11; 13:4,23; 14:4; 30:25). A pressa também fala de tentações que destroem homens gananciosos (Pv 14:15; 15:27; 22:3; 28:21; ITm 6:6-10). A pressa traz, ainda, o julgamento natural e divino (Pv 20:21; 23:4-5; Ec 5:13; Lc 12:15-21).
 
Entenda a lição! Algumas pessoas cobiçosas compram bilhetes de loteria ou apostam nos cassinos! Ambos estão fadados ao confisco, levando-os à ruína! O único ganhador é o estado ou o cassino. O dinheiro perdido saiu das economias, o que compromete os investimentos futuros. A retirada dos "ganhadores" os torna em viciados. Um verdadeiro emprego fica monótono. Eles são gastadores tolos (Pv 18:9).
 
Esses idiotas não conseguem enxergar que as loterias são um esquema para taxar o pobre, que não tem renda nem ativos para serem taxados (ou inteligência para perceber que estão sendo taxados). A unidade governamental consegue fazer com que gastem impostos adicionais, aumentando a bolada acumulada. Qual é o resultado final todas as vezes? O estado ganha e o pobre se torna mais pobre todas as vezes.
 
Os cassinos apelam para os mais sofisticados. Las Vegas tem muito brilho, salas luxuosas, entretenimento ao vivo, um Buffet de comida, e bebidas grátis para abrir as suas carteiras. Com base em cuidadosas estatísticas, a casa permite ganhos com suficiente frequência para mantê-lo jogando até que você se torna propriedade deles.
 
Considere outro exemplo. Um homem desejoso de progredir rapidamente decide que ele não pode se dar ao luxo de contribuir financeiramente ao Senhor. Ele raciocina que se tornará um grande contribuinte assim que ele estiver financeiramente confortável. Ao roubar de Deus, ele aciona as leis divinas que o reduzem à pobreza, não importa o quão duro e com que esperteza ele trabalhou (Pv 11:24; Ag 1:5-10; Ml 3:8-12).
 
Outro homem decide não renovar o seu seguro de saúde. Afinal de contas, ele não tem feito nenhum pedido de reembolso nos últimos três anos! Ele coloca o valor do prêmio que pagaria pelo seguro em várias idéias envolvendo redes de vendas. Tendo violado uma lei da prudência ao se expor desnecessariamente ao risco, ele está falido no ano seguinte em razão de uma mastectomia de emergência de sua mulher (Pv 6:1-5; 27:12-13).
 
Outro homem se angustia por causa dos juros. Nos Estados Unidos, os bancos estão remunerando a 4% anualmente. Mas o seu esquema de rede de vendas mostra um retorno de 25%, garantido, anualmente! Ele se benze e investe no esquema Ponzi (*), mostrando à sua família a Mercedes que ele vai comprar em três meses. Quando a Polícia Federal telefona, os 4% passam a parecer como ouro! Mas é tarde demais! Sua pressa o levou a acreditar no impossível!
 
Um homem conservador ri destes exemplos. Ele é esperto demais para cair em qualquer esquema. Ele não vai roubar o Senhor. Ele vai contribuir com 12% todos os anos (o que lhe custaria só 7% depois da dedução dos impostos)! Ele ridiculariza os bilhetes de loteria e dos esquemas Ponzi. Ele trabalha diligentemente em dois empregos - até que acorda um dia com um ataque cardíaco, papéis de divórcio e filhos que o odeiam!
 
Outro homem decide que poupança afeta o seu estilo de vida. Ele para de poupar e entra no negócio de compra e venda de casas e carros. Ele quer a boa vida agora! Quando um grande negócio aparece ele não tem capital para investir. Quando ele perde o seu emprego por uma oferta pública de aquisição, ele não tem um fundo de emergência. Ele e a sua mulher terminam trabalhando lado a lado num restaurante "fast food"!
 
Outro homem é contador. Ele morre de vontade de ser o controlador. Quando o Diretor Financeiro lhe oferece a promoção para que inflacione os ganhos dos relatórios financeiros, ele raciocina que pode corrigir a mentira e o roubo a partir da sua nova posição. É apenas um pecado temporário. Por alguma razão, o Diretor Financeiro quer que ele repita novamente a operação no ano seguinte. Ele está condenado na sua posição tão sonhada!
 
É oferecido um suborno ao juiz que tem um coração cobiçoso para fraudar o patrimônio de uma viúva num testamento. Qual foi o seu último pensamento? Ele se certifica de que ela terá o suficiente para viver confortavelmente, mas interpreta o testamento em favor do seu benfeitor. Ele morreu lentamente de um doloroso câncer do cérebro dois anos mais tarde. Qual foi o seu último pensamento? Porque me esqueci do Juiz de todos os juízes (Sl 68:5; Ec 5:8)?
 
Um motorista de caminhão odiava ser conhecido como motorista de caminhão. Ninguém respeitava a sua profissão. Ele começou a desprezar o seu emprego. Quando um homem sempre sorridente, usando um relógio Rolex, dirigindo um conversível, lhe falou a respeito de um esquema multinível de enriquecimento de um sabão com preço exagerado, ele vendeu o seu caminhão e investiu tudo no esquema. A última vez que foi visto estava cavando sepulturas com uma pá, com uma garagem cheia de sabão!
 
Outro homem apurou as suas finanças de fim de ano. Sua folha de balanço mostrou pouco progresso. De que forma ele poderia se tornar rico nesse ritmo? O dia seguinte era o dia de declarar o seu imposto de renda. Surpresa! Ele falsificou, só um pouco, a sua devolução. A última vez que foi visto estava numa prisão federal, e nem tinha uma garage cheia de sabão!
 
Um homem fiel aceita o trabalho monótono que Deus lhe deu, trabalha diligente e pacientemente, poupa e contribui liberalmente, odeia mentiras e esquemas, evita riscos, é escrupulosamente honesto, se preocupa com amigos e inimigos, e confia no Senhor pelo seu pão diário. A última vez que ele foi visto, ele tinha um patrimônio de bom tamanho, vivendo com contentamento com a sua única esposa, e se deliciando com os seus netos.
 
(*)Um esquema Ponzi é uma operação fraudulenta de investimento que envolve o pagamento de rendimentos anormalmente altos ("lucros") aos investidores, às custas do dinheiro pago pelos investidores subsequentes, em vez da receita gerada por qualquer negócio real. O nome do esquema "homenageia" o fraudador Charles Ponzi.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!