" NOSSA APARIÇÃO E PASSAGEM POR ESTE MUNDO NÃO É ALGO VAGO E MUITO MENOS VÃO, HÁ UM PROPÓSITO PRAGMÁTICO E IMENSO, BASTA-NOS TERMOS A CORAGEM PARA DESCOBRI-LO QUANDO A CURIOSIDADE QUE É INERENTE A NÓS, AFLORAR E CRESCER " - Parte 1

20/05/2014 11:06

                     Há um motivo maravilhoso para você estar aqui

                                                         Parte 1

                   

Há uma pergunta que a humanidade se faz há muito tempo: por que estou aqui? Para que ou por que eu nasci? E muitas coisas propõem-se a responder.  Por exemplo, o nosso nome nos identifica. Mas, ele mesmo foi dado por outra pessoa. Então, a nossa identificação mais comum não foi construída por nós, mas dada por outra pessoa. Isso é só um exemplo de que, na maioria das vezes, nos vemos pelos olhos dos outros ou das coisas que fazemos.

Você pode tentar se definir pelo seu caráter, mas ele pode lhe surpreender para melhor ou para pior e você continua existindo. Também pode tentar se definir pelo que sabe ou pelo que consegue fazer. Por exemplo, um profissional pode tentar se definir por sua profissão, mas ocorre um acidente, uma doença, uma crise de desemprego no país, a idade, a aposentadoria e o emprego é perdido... Mas sua vida continuará. Bem, se a vida vai além, ela não pode ser definida pelo que você faz ou deixa de fazer. O trabalho é parte da vida, mas não pode defini-la. Ele é resultado, efeito, da vida que está em você e não a causa.

Todas essas coisas que eu falei são papéis e momentos em mudança. Mas "ser" exige constância, "ser" tem a sede do eterno. Todas essas coisas que fazemos e possuímos juntas são resultado do que somos, mas conhecer não é o mais importante. Ser conhecido é o ponto. O fato é que precisamos ser conhecidos e reconhecidos.

Quando Deus criou o homem, o colocou em um jardim especial, cercado pela presença do Pai: "e plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado."  (Gênesis 2 : 8).  A Palavra Éden, no original, significa tanto "deleite" quanto "lugar da presença de Deus". Nós fomos criados para viver na presença de Deus. E qual a relação dessa presença com o conhecimento de Deus? Davi explica muito bem no Salmo 139. Ele percebe a presença de Deus quando está agindo e pensando: “SENHOR, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos.” (Salmos 139:1-3). Percebe-O ouvindo as suas palavras: “Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, SENHOR, já a conheces toda.” (Salmos 139:4). E vê o Pai transpassando a sua vida por dentro e por fora, por cima e pelos lados, cercando-o com a Sua Presença e Davi, tal qual no princípio, se deleita: "5  Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão. 6  Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir." (Salmo 139: 5-6).

Qualquer pessoa que percebesse uma exposição tão profunda de sua intimidade mais secreta poderia se assustar, mas Davi se deleita. Essa forma de ser conhecido o faz sentir-se seguro e não ameaçado. Porque essa presença é uma mão que o guia nos momentos das alturas e quando estamos no abismo; quando estamos próximos de nosso conforto ou quando estamos longe: "7  Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? 8  Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também. 9  Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, 10  Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá." (Salmo 139:7-10).

Nos momentos de escuridão, em ).meio à dor ou da tribulação, tudo parece perder o sentido. “Para quê continuar, se eu não posso isso ou aquilo?” - é a pergunta mais comum. Mas, você não pode deixar que a sua vida seja definida baseada em uma situação porque nós fomos feitos para a eternidade e não apenas para o momento. A eternidade atravessa os momentos rumo à glória. Jesus veio para nos dar a Vida eterna e não nos considerar apenas por momentos. Deus não lhe vê assim, não aceite ter essa visão de si mesmo, então.

JESUS E O “POUCO” DE TEMPO

Jesus disse aos apóstolos antes de ser crucificado algo que mostra a nossa dificuldade com o eterno e o passageiro:

[Jesus disse:] Um pouco, e não mais me vereis; outra vez um pouco, e ver-me-eis. Então, alguns dos seus discípulos disseram uns aos outros: Que vem a ser isto que nos diz: Um pouco, e não mais me vereis, e outra vez um pouco, e ver-me-eis; e: Vou para o Pai? Diziam, pois: Que vem a ser esse — um pouco? Não compreendemos o que quer dizer. (João 16:16-18).

Observe que Jesus fala do tempo de prisão, morte e ressurreição e chama de pouco. Foram três dias de morte e a eternidade de ressurreição. Jesus via do ponto de vista da eternidade. O tempo da morte era pouco, assim como o tempo de espera pela ressurreição. Os discípulos não conseguiam entender o tempo de Jesus desde aquela época. Jesus sabia do processo completo, os discípulos só viviam parte por parte. Muitas vezes, nós, no momento difícil, esquecemos que tudo faz parte de um plano de vitória, onde “sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28). O meio do caminho não é o destino. Davi sabia que podia pastar em pastos verdejantes ou andar pelo vale da sombra e da morte, mas no final havia um banquete e um cálice transbordante, o perfume de um óleo aromático para recebê-lo com alegria, cercado de bondade e misericórdia (Salmo 23). Não confunda o caminho com o destino. Não é permanente, por mais que pareça durar, o mal na vida de quem crê é só por um pouco de tempo. Permanente é a eternidade da ressurreição.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!