" O PRAZER PELAS COISAS DO MUNDO - GRANDE PERIGO!"

31/07/2011 14:47

 

                                Amor pelo prazer

Deveria ser entendido, desde o início, que o prazer tem seu lugar certo na vida.  No entanto, surgem problemas quando é dado mais importância para uma pessoa da vida cotidiana do que o que é correto e admissível. 

As pessoas que são viciadas em pornografia são verdadeiros amantes do prazer.  Na verdade, é impossível para um viciado em pornografia não ter amor pelo prazer. 

Tornar prazer o aspecto mais importante da vida poderia ser comparada a uma adolescente que acha que pode viver em bares e boates.  Verdade, ela não vai cair morta, dentro de alguns dias, por causa de tal dieta pouco saudável, mas a sua qualidade de vida vai ser gravemente prejudicada.  A constante ingestão de açúcar vai gradativamente causar podridão em seus dentes, empobrecem o seu nível global de energia e podem mesmo conduzir a uma coisa séria, como a diabetes.  Pior que isso, substituindo alimentos saudáveis por doces, o seu corpo não vai receber a alimentação que é necessária para afastar doenças e sustentar a vida.  Sem dúvida, o resultado deste estilo de vida seria uma vida doente e uma morte prematura. 

Da mesma forma, as experiências agradáveis são destinadas a serem a “sobremesa” da vida.  Mantendo na perspectiva correta, a vida é equilibrada pelos pontos principais da dieta saudável: espírito de oração, leitura bíblica, presença na igreja, atos de bondade, dar dízimos e ofertas, e assim por diante.  No entanto, quando a gratificação torna-se o principal ponto da existência, assim como as podridões de uma pessoa da vida espiritual, ela acaba também vomitando tudo o que é saudável. 

Jesus disse que o amor pelo prazer faz com que os frutos não amadureçam (Lucas 8:14).  Tiago disse que por causa do amor pelos prazeres é que não recebemos nada, porque queremos apenas os nossos prazeres (Tiago 4:1-3).  O escritor de Hebreus disse que preferiria ser maltratado a se entregar aos prazeres do pecado (Hebreus 11:25).  O apóstolo Paulo falou daqueles que são “escravos dos prazeres e paixões” (Tito 3:3). 

Embora essas passagens sejam bem profundas, as palavras proféticas de Paulo em II Timóteo 3:4-5 são mais alarmantes.  Lá o apóstolo fala dos últimos dias onde teriam alguns que amariam mais os prazeres do que a Deus. 

A decepcionante verdade é que quando alguém procura prazer, o mesmo torna-se o principal na vida da pessoa e o amor de Deus fica distante.  João expressa algo semelhante quando ele disse: “Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.  Tudo o que está no mundo, a luxúria da carne, os olhares impuros ou algum orgulho de vida, não é do Pai, mas sim do mundo.” (1 João 2:15 b-16) 

Tudo está falando do mesmo fenômeno espiritual: o desejo por prazeres mundanos anula a habilidade de estar em um verdadeiro relacionamento com Deus. 

A forma de “bonzinho” pode parecer intacta, mas, na realidade, a vida espiritual da pessoa se torna dependente desse estilo de vida. 

A Pornografia é extremamente viciante devido ao intenso prazer que ela proporciona.  No entanto, aqueles que têm experimentado dela podem estar atentos para o fato dela proporcionar um prazer temporário.  Em longo prazo algumas das conseqüências são a perda da própria saúde e vitalidade espiritual. 

Não há como ter uma intimidade com Deus vivendo dependente dos prazeres carnais da vida e da pornografia. 

 

Steve Gallagher.