O Vice-primeiro- Ministro do Egito, Hazem Beblawi, renunciou o cargo na presença do chefe do governo egípcio, Essam Sharaf, nesta terça-feira, após os protestos feitos pelos cristãos.

Segundo fontes da Agência oficial egípcia Mena, sua saída foi por duas razões: primeiro pelo Partido Egípcio Democrático e Social e também pela atuação do Executivo na crise com os cristãos coptas.

Militares e cristãos se enfrentaram deixando pelo menos 25 mortos e mais de 300 feridos neste domingo. Aproximadamente 2 mil manifestantes se reuniram em frente à radiotelevisão pública egípcia protestando contra a queima de uma igreja copta na Província de Aswan, no sul do país, no mês passado.

A renúncia de Beblawi se deu enquanto os membros da comunidade cristã copta iniciaram três dias de jejuns em luto pelos mortos.

Os coptas representam 10% do total da população egípcia e reclamam contra o conselho militar de não serem ágeis em punir os islâmicos radicais que atacaram suas igrejas.