A população do estado do Mississípi, nos Estados Unidos, votou nesta terça-feira contra a criminalização do aborto, submetida a referendo popular, excluindo a possibilidade de se considerar como pessoa os óvulos fertilizados.

A mudança legislativa, conhecida como MS 26, colocada em referendo, baseava-se na substituição da definição de pessoa para “qualquer ser humano desde o momento da fertilização, clonagem ou equivalente funcional”.

Caso essa mudança fosse aprovada, o Mississípi seria o primeiro estado norte-americano a criminalizar o aborto, que é legal nos EUA desde 1973.

Fonte: Expresso