O funeral de Steve Jobs terá protesto da Igreja Batista Westboro, que ficou reconhecida por fazer manifestações contra homossexuais em seus enterros.

Agora os membros estarão presentes na cerimônia de cremação do fundador da Apple. A informação foi dada pelo Twitter da filha do pastor Fred Phelps, Margie.

Para divulgar a informação, ela ainda teria usado o aplicativo da Apple, ironicamente, ao mesmo tempo que condenava Jobs à “morte eterna” por ele ‘não dar nenhuma glória a Deus e ensinar o pecado’.

Nas mensagens de protesto que a igreja já fez, ela se manifestava com dizeres sobre um Deus irado que odeia todo o mundo, que “Deus odeia os gays”, “Deus te odeia”, “ A América está condenada” e “Você vai para o inferno.”

Steve Jobs morreu aos 56 anos nesta quarta-feira, dia 5. Criador da Apple, maior empresa de capital aberto do mundo e o pai de produtos como Macintosh, o iPod, o iPhone e o iPad.