A venda de consórcios no Brasil tem crescido à taxa de 37% até agosto desse ano. E igrejas estão sendo atraídas por possuir menor burocracia com relação às linhas de crédito.

Roberto Quiroga, sócio do escritório de advocacia Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. E Quiroga diz que “Mesmo não tendo fins lucrativos, igrejas têm direito a linhas de financiamento.” Como é o caso das igrejas evangélicas.

Embora não sejam tão comuns a liberação de crédito para essas instituições, segundo especialistas, é a falta de comprovação de rendimentos.

A Expocristã 2011 (evento de produtos e serviços para cristãos) realizada em setembro em São Paulo lançou uma modalidade de crédito especificamente voltada para os evangélicos através da empresa de consórcios FBJ Representações.

O dono da FBJ, Delmar Borges, explica que “a ideia é que o pastor ou a igreja que está alugando um templo possa ter recursos para construir sua própria sede.” Assim a FBJ vai até as igrejas para esclarecer como funciona o consórcio para os fiéis.