Uma cartilha instruindo sobre o uso de drogas mais fortes, preparada com base na política de redução de danos, foi parar na mão de crianças e adolescentes em Sorocaba, interior de São Paulo.

Pais que viram a cartilha ficaram espantados e procuraram autoridades municipais exigindo satisfações.

O “manual” ensina em que parte do corpo o dependente deve injetar drogas, explica também o que se deve fazer para não vir a ter overdose. O folheto é uma publicação do Ministério de Saúde e deveria ser divulgado apenas para jovens que utilizam drogas injetáveis. O material alerta para o perigo do contágio de doenças entre usuários que compartilham a mesma seringa e agulha.

“Se caiu nas mãos de pessoas que não eram o público-alvo, a gente está investigando como isso aconteceu e vai estar conversando com as equipes para ter mais cuidado. Também dizer por que eventualmente caiu na mão de alguma pessoa que não é usuária, que lê aquilo e vai fazer com que ela comece a usar droga, eu acho que é uma visão totalmente ingênua do problema”, declarou a secretária municipal de Juventude de Sorocaba, Edith di Giorgi.

Os vereadores de Sorocaba solicitaram a secretária de Juventude para uma reunião de esclarecimento sobre os motivos desse material chegar até as crianças. Eles querem um controle maior na distribuição dos folhetos, que já foram retirados de circulação.

O Ministéria da Saúde enfatizou que a distribuição destes folhetos deve ser feita somente para quem faz uso de drogas injetáveis, como forma de prevenção ao contágio de Aids e hepatite.

Fonte: Globo.com