Um rapaz tetraplégico, Geraldo Rodrigues de Oliveira, de 23 anos foi morto com dois tiros pelo irmão, Roberto Rodrigues de Oliveira, de 22 anos, dentro de sua casa, neste sábado passado, em Rio Claro, no interior de São Paulo.

Eles teriam simulado um assalto a pedido do irmão deficiente que culpava Roberto por um acidente que o deixou tetraplégico, em 2009. Segundo o delegado Marcos Fuentes, Roberto desafiou o irmão em uma disputa de racha entre moto e carro e Geraldo acabou capotando o automóvel que dirigia. “Ele culpava o irmão e dizia que era obrigação dele matá-lo”, relatou Fuentes. Segundo ele, a vítima vivia dizendo “nem me matar eu consigo”.

Os irmãos já haviam cogitado se suicidarem com veneno, mas desistiram porque Geraldo não teria como fazer isso sozinho. Então decidiram fingir um assalto seguido de morte e Roberto então, matou o irmão.

No sábado, o sobrinho de 15 anos, avisou a Polícia militar e os familiares de que um ladrão teria roubado R$ 800 e matou Geraldo.

O caso levantou suspeitas na PM porque Geraldo não teria com reagir por ser tetraplégico. No entanto, de acordo com a polícia, ficou estranho o fato de o sobrinho também não ter sofrido agressão.

Uma das advogadas do acusado, Roberta Wingand, diz que Roberto não tem antecedentes criminais e que sempre cuidou do irmão. Ela relatou que a conduta dele foi por causa do “enorme sofrimento do irmão, que clamava pela morte, que foi uma forma de libertação”.