"ESTUDOS BÍBLICOS 1 CORINTIOS 9:24 A 11:1"

06/08/2011 11:40

Carnes dos Ídolos: Ame a Deus

Ao escrever sobre as carnes sacrificadas aos ídolos Paulo tinha dois pontos a defender. Ele apresentou o primeiro no capítulo 8 (abstenha-se de carne por amor a teu irmão) e,então, deu duas ilustrações no capítulo 9 (eu renunciei ao meu direito ao sustento financeiro e a ser eu mesmo por amor do evangelho). Ele começou o segundo ponto com ilustrações (o atleta, 9:24-27 e os israelitas, 10:1-13) e, então, fez sua exortação (foge da idolatria 10:14-22).

Exemplos (9:24 - 10:13): Os atletas olímpicos são esforçados, disciplinados e concentrados. Eles forçam seus músculos até o limite e renunciam a prazeres normais em sua busca por uma coroa corruptível, a qual era, naquela época, feita de aipo seco. Não devem os cristãos serem mais esforçados, disciplinados e concentrados em sua busca pela coroa incorruptível no céu?

Os israelitas, no deserto, foram todos abençoados por Deus. Ele guiou a todos, batizou todos no Mar Vermelho e deu a todos alimento e bebida espirituais. Contudo, "a maioria" caiu no deserto. "A maioria" era 603.548 dos 603.550 homens. Todos, menos dois. Por que caíram? Eles festejaram em volta de um bezerro de ouro, cometeram imoralidade sexual associada com idolatria, etc. E por que Deus registrou estes acontecimentos? Não para aqueles que caíram (era muito tarde para eles), mas para nós, de modo que aceitando a advertência possamos evitar o julgamento que eles tiveram.

Fugindo da idolatria (10:14-22): Este é o ponto crucial do argumento de Paulo. Participar da ceia do Senhor une os cristãos a Cristo e aos outros cristãos. Participar do altar une os judeus ao altar e à adoração do Velho Testamento. Portanto, participar de festas idólatras também tem conseqüências. Paulo não estava ensinando que comer carne oferecida a ídolo une os cristãos a um "deus" imaginário, mas aos demônios que promoviam a idolatria. Não se pode participar da mesa do Senhor e ao mesmo tempo da mesa do ídolo.

Conclusões (10:23—11:1): Paulo finalizou a discussão considerando assuntos práticos. Algumas vezes sobras de carne de ídolo seriam vendidas no atacado ao açougueiro, que as revenderiam como qualquer outra carne. Uma vez que essa carne não foi fisicamente alterada pela cerimônia no templo, um cristão poderia comprá-la sem investigar a sua origem. Ele também poderia partilhar de uma refeição na casa de um vizinho pagão. Mas se fosse chamada a atenção para a carne como tendo vindo de um templo de ídolo, então ele deveria abster-se de comê-la por causa da consciência de outras pessoas. Tudo precisa ser avaliado por dois princípios: A glória de Deus (10:31) e o bem-estar de outros (10:32).