"ABRE-TE - Domingo"

23/07/2011 12:29

 Efatá!

MARCOS 7.31-37

Depois, erguendo os olhos ao céu, suspirou e disse: Efatá!, que quer
dizer: Abre-te! (Mc 7.34.)

Abre, Senhor, os meus olhos para ver-te,
Os meus ouvidos para ouvir-te,
O meu entendimento para compreender
A tua Palavra e obedecer.
Abro, Senhor, para ti, meu coração,
Para que, de mim, possa fluir doce canção.

Jesus encontrava-se em território de estrangeiros. Gente que ouvira a seu respeito e vinha para vê-lo, ouvir os seus ensinos e ser por ele curada. Gente que caminhava só, que tinha suas lutas, suas revoltas, suas esperanças e suas frustrações.
Gente que era como ovelhas que não têm pastor. Mas ele era pastor, com coração de pastor, com voz de pastor, com amor de pastor. E, por isso, todos queriam se chegar a ele. Sua fama corria, e Jesus nem tinha descanso.
Atravessava o território de Decápolis, e trouxeram-lhe um surdo e gago.
Geralmente os surdos não falam por serem surdos, e os sons que transmitem são imperfeitos, por isso são gagos. E Jesus, tirando-o do meio da multidão, levou-o à parte, tocou-lhe os ouvidos com os dedos, como que para desentupi-los. E tocou a língua com saliva. Sua oração foi um suspiro:
Abre-te! ou Efatá! Os ouvidos do homem foram abertos, e passou a falar com desembaraço.
Que maravilha! O toque de Jesus nos faz ouvir e falar perfeitamente.
Muitas vezes não falamos das coisas do Senhor porque não o estamos ouvindo bem. É preciso que o impedimento saia. Às vezes, é uma “pedra de cera”, um “corpo estranho”, um obstáculo entre a voz de Deus e o nosso coração. O toque do Senhor desentope tudo. Às vezes, os médicos lavam os ouvidos do paciente com jatos de água morna. Sai toda a sujeira.
Quem sabe, você não está precisando de um bom jato da água da Palavra para ouvir melhor e voltar a falar?

Pai, quero ouvir a tua voz falando ao meu coração das maravilhas
da vida contigo. Da glória do porvir, dos cantos
celestiais de gozo, das vitórias do Senhor no meio do teu
povo. Quero ouvir e falar de ti. Ajuda-me, Senhor. Amém.