" PREGANDO A PALAVRA NA UNÇÃO DE DEUS"

27/08/2011 10:28

 Prega a Palavra

Prega a Palavra. Fácil dizer, difícil cumprir. Não consigo imaginar uma tarefa "debaixo do sol" que exija tanto de uma pessoa. Isto requer estudo diligente, criatividade, imaginação, autodisciplina, vigor físico, humildade, dependência do Espírito, ousadia, coragem, e muito mais.

A pressão é maior ainda, pois aquele que presume proclamar a Palavra de Deus representa o Criador do universo perante homens pecadores. Que responsabilidade! Que privilégio! Por isso, guardo sempre em mente um pequeno ditado que também tenho repetido muitas vezes para meus alunos de pregação:

Aquele que presume dizer "Assim diz o Senhor"

Deve fazê-lo com temor e tremor.

Prega a Palavra. Envolve dois elementos:

1) Proclamação

2) Autoridade

1) Proclamação. Alguns sugerem a Palavra, como se fosse uma "boa ideia". Outros decretam a Palavra, como se originasse deles. Mas o pregador bíblico reconhece que ele é um porta-voz de Outro. Assim ele proclama com fidelidade o que seu Mestre diz. Sua confiança não se baseia na sua própria capacidade, mas na Pessoa a qual representa. Ele entende que a Palavra de Deus oferece o único caminho de vida, e por isso ele pode anunciá-la com ousadia, graça e autoridade.

Mas, o pregador sempre precisa lembrar que ele é um MENSAGEIRO de OUTRO e não a ORIGEM da mensagem. Sua responsabilidade é entregar o recado bíblico--não somente O QUE Deus falou, mas também COMO Deus falou.

Algumas metáforas nos ajudam a entender a tarefa do “proclamador” que é porta-voz de Deus:

a) O embaixador: sua tarefa é representar seu presidente fielmente, sem inventar mensagens, tratados ou comunicados a não ser o que foi mandado pelo seu governo.

b) O carteiro: sua tarefa é entregar as cartas, sem chamar atenção para si mesmo, alterar a aparência, muito menos o conteúdo, das cartas; depois de entregar as correspondências, sua tarefa é “sumir”!

c) O intérprete: sua tarefa é traduzir o orador principal de forma tão fiel quanto possível. O bom intérprete se conforma tanto à pessoa que traduz, que também acaba sumindo.

d) O juiz de futebol: ele apita o jogo, mas não interfere desnecessariamente com ele. O melhor juiz é aquele que não se vê!

e) O pastor: no sentido rico e técnico do termo, a tarefa do pastor de ovelhas é conduzir seu rebanho aos mais ricos pastos verdejantes com segurança e disciplina.

A proclamação fiel da Palavra requer tudo que o ministro do Evangelho tem para oferecer. Somente na dependência do Espírito Santo é que conseguirá desempenhar sua tarefa com humildade e eficiência. Como diz Pv 13.17: O mau mensageiro se precipita no mal, mas o embaixador fiel é medicina. E Pv 25.13: Como o frescor de neve no tempo da ceifa, assim é o mensageiro fiel para com os que o enviam, porque refrigera a alma dos seus senhores.

2) Autoridade. O segundo elemento essencial na pregação da Palavra de Deus tem a ver com sua Fonte autoritativa. A Palavra de Deus é nossa única base de autoridade. O pregador que se levanta para falar qualquer outra palavra corre o risco de poluir a fonte que jorra água viva para pessoas sedentas. Embora a palavra "autoridade" quase se tornou palavrão em nossos dias, para aquele que confia no princípio de Sola Scriptura, não existe outra base para a nossa proclamação. Se alguém fala, fale DE ACORDO COM OS ORÁCULOS DE DEUS (1 Pe 4.11).

Infelizmente, vivemos em dias semelhantes ao período em que a mão de Deus pesava contra os “pastores” de Israel que ministravam em nome de Deus, mas que falavam baseado em sua própria autoridade fajuta. Veja alguns textos contundentes do Antigo Testamento, mas que parecem descrever o que vemos hoje:

a) Zacarias 10.2,3: Os adivinhos vêem mentiras, contam sonhos enganadores, e oferecem consolações vazias; por isso anda o povo como ovelhas, aflito, porque não há pastor. Contra os pastores se acendeu a minha ira, e castigarei os bodes guias; mas o SENHOR dos Exércitos tomará a seu cuidado o rebanho...

b) Zacarias 11.4-5: Assim diz o SENHOR meu Deus: Apascenta as ovelhas destinadas para a matança. Aqueles que as compram matam-nas, e não são punidos; os que as vendem, dizem: Louvado seja o SENHOR, porque me tornei rico; e os seus pastores não se compadecem delas.

c) Jeremias 23.25-28, 30: Tenho ouvido o que dizem aqueles profetas, proclamando mentiras em meu nome, dizendo “Sonhei, sonhei.” Até quando sucederá isso no coração dos profetas que proclamam mentiras, que proclamam só o engano do próprio coração? Os quais cuidam em fazer que o meu povo se esqueça do meu nome pelos seus sonhos que cada um conta ao seu companheiro...O profeta que tem sonho, conte-o como apenas sonho; mas aquele em quem está a minha palavra, fale a minha palavra com verdade...Eis que sou contra esses profetas, diz o SENHOR, que pregam a sua própria palavra, e afirmam: Ele disse.

d) Ezequiel 34.2-4, 8: Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize-lhes: Assim diz o SENHOR Deus: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas? Comeis a gordura, vestis-vos da lã e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. A fraca não fortalecestes, a doente não curastes, a quebrada não ligastes, a desgarrada não tornastes a trazer e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza...os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois se apascentam a si mesmos...

Prega a Palavra. Esta é a tarefa de quem presume falar "Assim diz o Senhor”. Fazê-lo da melhor forma possível, com clareza, entendimento e relevância, para que o pregador desapareça e Jesus seja exaltado, exige tudo que o pregador tem, e muito mais. Requer uma dependência total do Espírito de Deus, uma capacitação sobrenatural, e muito suor. Que Deus levante cada vez mais pregadores que poderão dizer com confiança e autoridade “Assim diz o Senhor!”