" DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS E TAMBÉM NÃO DESPREZA A JUVENTUDE: ELE ATENTA É PARA O VERDADEIRO TEMOR "

24/09/2011 11:17

 

2 Crônicas - 34

1 - JOSIAS ESTAVA com oito anos de idade quando se tornou rei. Ele rei­nou trinta e um anos em Jerusalém.

2 - Seu reinado foi bom, visto ter seguido com muito cuidado o bom exemplo de seu pai Davi.

3 - Porque quando ele estava com de­zesseis anos de idade, no oitavo ano de seu reinado, começou a buscar o Deus de seu pai Davi. Quatro anos depois, come­çou a purificar Judá e Jerusalém, des­truindo os altares dos deuses falsos e as imagens de Aserá sobre os montes.

4 - Foi pessoalmente ver como eram desmancha­dos os altares de Baal, como eram derru­badas as colunas sobre os altares, e as imagens de Aserá reduzidas a pó e espa­lhadas sobre os túmulos daqueles que ofereciam sacrifícios a esses deuses.

5 - Depois ele queimou sobre seus próprios alta­res os ossos dos sacerdotes que não ado­ravam a Deus, achando que esta atitude tiraria do povo de Judá e de Jerusalém a culpa do pecado de adoração de imagens.

6 - A seguir, foi às cidades de Manassés, de Efraim e de Simeão, e até à distante Naftali, e fez à mesma coisa nesses luga­res.

7 - Derrubou os altares dos deuses fal­sos, reduziu à pó as imagens de Aserá, e derrubou as colunas. Fez isto em toda parte da terra de Israel, antes de voltar para Jerusalém.

8 – No décimo oitavo ano de seu reinado, depois que ele havia purificado a terra e posto em ordem a situação do templo, nomeou a Safã (filho de Azalias), a Maaséias, governador de Jerusalém, e a Joá (filho de Joacaz), tesoureiro da cida­de, para consertarem o templo.

9 - Josias estabeleceu um sistema de recolher dona­tivos para o templo. O dinheiro era reco­lhido nas portas do templo pelos levitas que estavam de serviço ali. Os donativos eram trazidos pelas pessoas que vinham de Manassés, de Efraim e de outras partes do restante de Israel, bem como do povo de Jerusalém. O dinheiro foi levado ao sumo sacerdote Hilquias para contagem,

10 e 11 – e depois usado pelos levitas para pa­gar os carpinteiros e pedreiros, e para comprar material de construção - blocos de pedra para construção, madeira, vigas. Ele reconstruiu então o que os reis ante­riores de Judá haviam demolido.

12 - Os trabalhadores foram ativos e fiéis sob a chefia de Jaate e Obadias, levitas da família de Merari. Zacarias e Mesulão, da família de Coate, eram os dirigentes da construção.

13 - Os levitas que entendiam bem de música tocavam para louvar ao Senhor enquanto a obra progredia. Ou­tros levitas dirigiam os trabalhadores co­muns que traziam os materiais para os operários. E ainda outros ajudavam co­mo contadores, supervisores e carregado­res.

14 - Um dia, quando Hilquias, o sumo sa­cerdote, estava no templo registrando o dinheiro recolhido nas portas, encontrou um velho livro que se verificou ser o livro das Leis de Deus dadas a Moisés!

15 e 16 - "Olhe!" exclamou Hilquias a Sa­fã, o secretário do rei. "Veja o que eu en­contrei no templo! Essas são as Leis de Deus!" Hilquias entregou o livro a Safã, e Safã o levou ao rei, junto com seu re­latório de que a reconstrução do templo estava andando bem.

17 - "Os cofres de dinheiro foram abertos e contados. O dinheiro foi entregue nas mãos dos dirigentes e dos trabalhado­res", disse ele ao rei.

18 - Safã falou sobre o livro, e como Hil­quias o descobriu. E ele leu o livro para o rei ouvir.

19 - Quando o rei ouviu o que es­sas Leis exigiam do povo de Deus, rasgou as suas roupas em desespero,

20 - e mandou chamar a Hilquias, a Aicão (filho de Sa­fã), a Abdom (filho de Mica), a Safã, o tesoureiro e a Asaías, ajudante pessoal do rei.

21 - "Vão ao templo e orem ao Senhor por mim!" disse-lhes o rei. "Orem por todo o restante de Israel e de Judá! Por­que este livro diz que o motivo pelo qual a grande ira do Senhor foi derramada sobre nós, é que nossos pais não obedeceram a essas Leis que estão escritas aqui."

22 - Então Hilquias e os demais homens foram à casa da profetisa Hulda, esposa de Salum (filho de Tocate, filho de Harás). Salum era o alfaiate do rei; ele morava na parte baixa de Jerusalém. Quando contaram a ela sobre o problema do rei,

23 - ela respondeu: "O Senhor Deus de Israel diz: Digam ao homem que en­viou vocês:”

24 “‘Sim, o Senhor vai destruir esta ci­dade e seu povo. Todas as maldições es­critas no livro lido diante do rei vão acon­tecer”.

25 – “Pois meu povo Me abandonou e adorou deuses falsos, e estou muito zan­gado com eles por causa das suas ações. Portanto, o meu furor está derramado sobre este lugar e não se retirará.”

26 – “Mas também o Senhor diz isto ao rei de Judá, que enviou vocês a me per­guntarem a respeito deste assunto: Digam a ele que o Senhor, Deus de Israel, diz”:

27 – “Já que você está triste e se humilhou diante de Mim quando ouviu minhas pa­lavras contra esta cidade e seu povo, e rasgou sua roupa em desespero e chorou perante Mim - Eu ouvi a sua oração, diz o Senhor”.

28 – “Não enviarei o mal prometi­do sobre esta cidade e seu povo antes da sua morte”. Assim eles levaram ao rei esta palavra do Senhor.

29 - Então o rei mandou chamar todos os homens impor­tantes de Judá e de Jerusalém,

30 - os sacer­dotes e levitas e todo o povo, tanto gran­des como pequenos, para acompanhá-lo ao templo. Ali o rei leu o livro para eles - o contrato de Deus que foi achado no templo.

31 - Enquanto o rei estava diante deles, fez uma promessa ao Senhor de seguir os seus mandamentos, testemunhos e decretos com todo o seu coração e sua alma, e fazer o que estava escrito no livro.

32 - Ele exigiu que todos em Jerusalém e Benjamim prometessem cumprir este con­trato com Deus, e todos eles prometeram.

33 - Assim Josias retirou todas as ima­gens das áreas ocupadas pelos judeus, e exigiu que todos adorassem ao Senhor seu Deus. E por todo o restante da vida do rei, eles continuaram servindo ao Senhor, o Deus de seus pais.