" COMPREENDENDO MELHOR O SIGNIFICADO DOS SALMOS PARA APRIMORAR NOSSAS VIDAS CRISTÃS "

18/12/2011 12:22

 

A CHAVE PARA ENTENDER OS SALMOS
 
Pode-se obter uma compreensão mais plena da eloquência dos Salmos entendendo-se os princípios básicos da poesia hebraíca.
A falta de um ritmo previsível e de rima tem deixado muita gente confusa quanto à natureza poética dos Salmos. Embora a poesia hebraica possua algum ritmo, usa muito mais a repetição e a recapitulação.
Uma linha de um versículo é seguida por outra que fornece a variação da mesma ideia. Não só os salmistas usam essa técnica, como também os autores de provérbios .
 
A segunda linha de cada provérbio costuma reforçar o sentido da primeira (Prov.22 : 1 ). Este reforço da ideia não é mera tautologia, mas um maneirismo gracioso do poeta. A primeira linha faz uma declaração que a segunda linha acentua ou aprofunda.
 
0 salmista podia modificar esse padrão geral de diversas formas. Em primeiro lugar, o salmista podia usar paralelismo sinônimo para tornar ambos os elementos similares. Por exemplo:
 
Antes, tem o seu prazer na lei do Senhor,
E na sua lei medita de dia e de noite (SI 1.2).
 
Em segundo lugar, o salmista podia contrastar dois elementos. Esse tipo de paralelismo, chamado de paralelismo antitético - geralmente contém a palavra mas. Por exemplo:
 
Porque o Senhor conhece o caminho dos justos;
Mas o caminho dos ímpios perecerá (SI 1.6).
 
Em terceiro lugar, o salmista podia desenvolver o tema da primeira linha na segunda linha. Isso se chama paralelismo sintético.  Por exemplo:
 
Bem-aventurado o varão
Que não anda segundo o conselho dos ímpios,
Nem se detém no caminho dos pecadores,
Nem se assenta na roda dos escamecedores(SI 1.1).
 
Uma quarta melhoria no paralelismo geral é o paralelismo climático. Neste tipo de paralelismo, o primeiro membro se parelha :de versos está incompleto, e o segundo repete em parte o primeiro membro para depois concluir o pensamento. Por exemplo:
 
Dai ao Senhor, ó famílias dos povos,
Dai ao Senhor glória e força (SI 96.7).
 
Por último, o salmista podia usar o paralelismo emblemático. Neste tipo, a primeira linha contém uma figura de linguagem as seguintes explicam a figura, por expansão ou explanação. No seguinte exemplo, as linhas paralelas do versículo explicam o sentido da expressão como a árvore.
 
Pois será como a árvore
Plantada junto a ribeiros de águas,
A qual dá o seu fruto na estação própria,
E cujas folhas não caem,
E tudo quanto fizer prosperará (SI 1.3).
 
Com o paralelismo poético, o salmista hebreu conseguia expressar vigorosamente seu louvor a Deus.
 
Ao ler os Salmos em voz alta e ressaltar os elementos paralelos, a pessoa pode entender melhor a harmonia da linguagem poética da qual deriva a tradução.